Blog do Preletor Cleber de Amorim

Blog do Preletor Cleber de Amorim

Lição 01- 2º Trimestre Corinto – Uma Igreja Fervorosa, mais não Espiritual

Lição 1 - Trimestre 2/2009

Corinto – Uma Igreja Fervorosa, mais não Espiritual.
Comentário: Pb Cleber de Amorim AD Criciúma SC
Contatos: 048 34339454 e 91024300
E-mail rodopack@rodopack.com.br; MSN cleber.comjesus@hotmail.com

Paz do Senhor amados!

Iniciamos aqui mais um trimestre de estudos de nossas lições bíblicas. Neste, trataremos de problemas inerentes a Igreja, que tão propriamente são apontados por Paulo no seu trato com os crentes de Corinto, expressos em sua primeira epístola endereçada aos mesmos, e que são à base de nossos estudos neste trimestre. Os problemas da Igreja Corintiana serviram para uma das mais completas abordagens pastorais do apóstolo. Sua abrangência é imensa, tratando de temas dos mais variados desde o partidarismo, imoralidades, litígios, casamento, dons espirituais e a gloriosa vinda de Cristo e o estado dos mortos em Cristo. A primeira epístola aos coríntios, não se trata de um tratado teológico, e sim um tratado pastoral com abordagem ética, definindo padrões de comportamento e convivência do cristão, com os irmãos, a sociedade e principalmente em seu relacionamento com Deus.

Primeiro vamos nos localizar e nos contextualizar com a Igreja de Corinto.

Corinto era a capital da Acaia, na península do Peloponeso no sul da Grécia, neste tempo uma província do Império Romano. Corinto era uma cidade portuária, cosmopolita, de forte comércio e com uma população estimada em 600.000 habitantes dos quais quase 400.000 sendo escravos. Nos tempos de Paulo, Gálio era o governador desta província (At 18.12 – 18). Corinto era também, muito conhecida por seu modo de vida exageradamente libertino, costume talvez adquirido pelo fato de haver o culto a Afrodite, com sua prostituição institucionalizada como culto sagrado à fertilidade. Diz-se que eram em torno de 1000 sacerdotisas que prestavam estes serviços de prostituição no próprio templo, como adoração a divindade. Por isso o modo de vida dos Coríntios era tão admirado, e gerava expressões como “corintianzar” (se deixar levar pelo modo de vida corintiano), “a donzela de Corinto” (iniciante) e a “enfermidade de Corinto” (doenças venéreas). Foi neste cenário que Paulo morou provavelmente um ano entre o ano 50 e 51 da era Cristã.

Temos aqui então um dos primeiros objetivos da lição que é o de descrever o contexto histórico cultural de Corinto.

Parece bem claro na epístola, que a influência do modo de vida daquela sociedade, gerava pessoas problemáticas demais, o que por conseqüência acabava influenciando a igreja. Fica bem claro que os crentes de Corinto eram permissivos e tolerantes com várias questões e práticas que não cabiam dentro do evangelho.

Todavia, entretanto e, porém, além de serem assim, os membros da igreja tinham a fama de muito fervor e fé. Destacavam-se pelos seus cultos barulhentos e afogueados recheados de manifestações de dons espirituais, o que lhe dava uma conotação de igreja perfeita. Porém os problemas também tinham espaço entre seus membros, e na maioria em excesso. Precisamos ser muito espirituais para compreendermos como Deus ainda trabalha em meio a situações assim. Talvez por misericórdia, longanimidade e por interesses de salvação Ele insistisse com estes crentes. Paulo com certeza estava sendo usado por Deus para a correção destes.

O que aprenderemos nesta lição, é que toda igreja precisa ter uma boa relação entre dons espirituais e frutos do Espírito Santo. Quando somos usados em algum dom de Deus, naquele momento somos instrumentos. E como nesta analogia não podemos ser inanimados, sem iniciativa e participação no processo espiritual. Daí damos vazão a inércia espiritual e não estaremos a altura de servos, permitindo que toda e qualquer ignorância acerca das coisas de Deus atrapalhe nossa convivência com Deus, irmãos e a sociedade. Daí seremos neófitos, meninos na fé e imaturos.

Quando atingimos a maturidade, diz-se que realmente somos espirituais, pois agora somos não somente instrumentos, mais servos e amigos de Deus. Neste estágio da vida cristã, descobrimos a voz de Deus e sua vontade. Não analisamos mais as coisas por princípios racionais ou naturais, e sim pelo espiritual. Andamos na lei do Espírito obedecendo e sendo abençoados, gerando frutos para a glória de Deus.

Aluno, este comentário não tem por objetivo referenciar todos os versículos e tópicos da lição, isto você certamente já fez. Nosso intento é apenas esclarecer o tema e dar novas abordagens ao mesmo, com o objetivo de enriquecer sua aula. Seja criativo abordando dados históricos sobre corinto, sua localização geográfica, sua cultura, sua economia etc. Deus vai lhe abençoar com certeza!

Um abraço forte em Cristo.

2 Response to "Lição 01- 2º Trimestre Corinto – Uma Igreja Fervorosa, mais não Espiritual"

  1. Muita bom, adorei certamente vai me ajudar muito na aula, gostaria de mais sobre os deuses de corinto ajudaria mt mais.

    obrigado

    Deus abençõe

    Muita bom, adorei certamente vai me ajudar muito na aula, gostaria de mais sobre os deuses de corinto ajudaria mt mais.

    obrigado

    Deus abençõe

Jogos seguros para Crianças

Amigos que seguem o Blog

Um presente de Natal diferente para as crianças

Mande seu E-mail

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme